Cesto Kaj Buriti | Kayapó

O cesto Kaj é utilizado para carregar os alimentos coletados na roça ou extraídos da mata. Tradicionalmente estes cestos são produzidos pelos guerreiros mais velhos na Casa dos Guerreiros. Localizada bem no centro da aldeia, esta casa é onde são tomadas as decisões políticas e onde as histórias são contadas. Entre os Mebêngôkre a produção do que chamamos de artesanato está relacionada com a construção da própria pessoa e também da sociedade. Ou seja, de alguma forma aquilo que um Kayapó produz faz parte do que ele é.

medidas aproximadas: altura 30 cm x altura c/alça 54 cm x diâmetro 23 cm x circunferência 63 cm.

R$ 198,00

em até 5x de R$ 39,60

Produto indisponível

Enviado com sucesso!

Houve um problema ao enviar.

calcule o frete

Não sabe o seu CEP?
PRECIFICAÇÃO TRANSPARENTE
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
Cesto Kaj Buriti  | Kayapó
CONHEÇA A ETNIA QUE PRODUZIU ESTE PRODUTO
Kayapó
CONHEÇA A ETNIA QUE PRODUZIU ESTE PRODUTO
Kayapó

Língua: Kayapó. Família linguística: Jê. Tronco linguístico: Macro Jê.

Localização: região do rio Xingu. Sul do PA e norte do MT.

População: 8.638 (Funasa, 2010)

No século XIX , os Kayapó estavam divididos em três grandes grupos, os Irã'ãmranh-re ("os que passeiam nas planícies"), os Goroti Kumrenhtx ("os homens do verdadeiro grande grupo") e os Porekry ("os homens dos pequenos bambus"). Destes, descendem os subgrupos Kayapó atuais: Gorotire, Kuben-Krân-Krên, Kôkraimôrô, Kararaô, Mekrãgnoti, Metyktire e Xikrin. Apesar da etnia se autodenominar Mebengokre, o termo Kayapó surgiu através de grupos vizinhos para nomeá-los, significando "aqueles que se assemelham aos macacos". O motivo se deve provavelmente a um ritual onde durante semanas, os homens Kayapó, vestidos com máscaras de macacos, executam danças curtas.

Fonte: Instituto Socioambiental / ISA

SUCESSO
FALHA
AUTONOMIA

AUTONOMIA

Promovemos a autonomia das organizações nas tomadas de decisão.

EQUILIBRÍO FINANCEIRO

EQUILIBRÍO FINANCEIRO

Relações equilibradas e simétricas que valorizam os modos de vida das populações tradicionais e indígenas.

ATIVISMO

ATIVISMO

Usamos nossos canais de comunicação para promover e engajar a sociedade à pauta do movimento indígena do Brasil.

MONITORAMENTO DE IMPACTO

MONITORAMENTO IMPACTO

Acompanhamos os impactos gerados com a venda dos artesanatos nas comunidades e em seus territórios.

TRANSPARÊNCIA

TRANSPARÊNCIA

Existência de espaços democráticos de negociação e diálogos entre as partes e transparência no acesso à informação e nas negociações.

PARCERIA

PARCERIA

Construímos parcerias sólidas e duradouras com as Artesãs e suas comunidades.

Tucum Brasil usa cookies para personalizar a comunicação e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.