Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma

cerâmica Clara Baniwa
De coloração quase branca, a cerâmica produzida pelas mulheres Baniwa possui uma grande diversidade de padrões gráficos de coloração vermelho-alaranjado, que enfeitam cada um dos utensílios. As cerâmicas claras têm um acabamento vitrificado que vem de resinas vegetais como o arbusto oomapihitako ou a seiva do jutaí, wakhamaali, planta da família do jatobá. Aplicada após a queima da peça por meio de um cuidadoso aquecimento, esta resina funciona como verniz que protege a peça do desgaste provocado pelo uso. A pintura – grafismos geométricos aplicados no interior ou exterior dos potes de acordo com o tipo e o uso – é feita antes da queima, quando a peça ainda possui um aspecto cinza, da cor da massa cerâmica composta de argila rara e a casca do caraipé (kawa, em Baniwa).

medidas aproximadas: altura 7,0 cm x circunferência 110,0 cm

R$ 88,00

ou em 2x de R$ 44,00

Enviado com sucesso!

Houve um problema ao enviar.

calcule o frete

Não sabe o seu CEP?
TABELA DE MEDIDAS
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
Bandeja Oval em Cerâmica Clara | Tucuma
CONHEÇA A ETNIA QUE PRODUZIU ESTE PRODUTO
baniwa
CONHEÇA A ETNIA QUE PRODUZIU ESTE PRODUTO
baniwa

BANIWA

Desde os tempos coloniais, o nome Baniwa é usado para todos os povos que falam línguas da família Aruak ao longo do Rio Içana e seus afluentes.

Atualmente as 93 comunidades deste povo estão localizadas na fronteira do Brasil com a Colômbia e Venezuela ao longo das margens do Rio Içana e seus afluentes Cuiari, Aiairi e Cubate, Alto Rio Negro/Guainía e nos centros urbanos de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel e Barcelos (AM). Participantes ativos no movimento indígena da região, suas cestarias de arumã os tornaram famosos para além das fronteiras de seu território. Esta arte milenar lhes foi ensinada pelos heróis criadores, e atualmente fazem parte do movimento de resgate

SUCESSO
FALHA
AUTONOMIA

AUTONOMIA

Promovemos a autonomia das organizações nas tomadas de decisão.

EQUILIBRÍO FINANCEIRO

EQUILIBRÍO FINANCEIRO

Relações equilibradas e simétricas que valorizam os modos de vida das populações tradicionais e indígenas.

ATIVISMO

ATIVISMO

Usamos nossos canais de comunicação para promover e engajar a sociedade à pauta do movimento indígena do Brasil.

MONITORAMENTO DE IMPACTO

MONITORAMENTO IMPACTO

Acompanhamos os impactos gerados com a venda dos artesanatos nas comunidades e em seus territórios.

TRANSPARÊNCIA

TRANSPARÊNCIA

Existência de espaços democráticos de negociação e diálogos entre as partes e transparência no acesso à informação e nas negociações.

PARCERIA

PARCERIA

Construímos parcerias sólidas e duradouras com as Artesãs e suas comunidades.