Ref: YN-C-00085

Balaio Yanomami Sotea G


R$ 248,00

BALAIO SOTEA

O Balaio Sotea é um utensílio culinário confeccionado por homens Yanomami do grupo Sanöma. O uso deste instrumento foi manifestamente adquirido pelos Yanomami, direta ou indiretamente, por meio de contato com grupos vizinhos, como o povo Ye’kwana. Esse cesto tem bordas baixas e é trançado com fibras de arumã em cor crua e fibras tingidas com tintas naturais. Serve como travessa para apoiar frutas e outros alimentos, recolher a massa de mandioca, guardar e servir o beiju e o que é comido coletivamente em família. Apresenta grafismos variados.

ARTE YANOMAMI

Cada objeto produzido pelo povo Yanomami guarda uma história. O formato da cestaria e suas linhas circulares se conectam com a vida cotidiana dos Yanomami. É de forma concêntrica que eles interagem com a floresta, dispondo suas casas (xapono) no centro, e ampliando o raio para as roças e área de caça. Esse mesmo desenho se repete no corte de seus cabelos e nos grafismos.

OS YANOMAMI

Os Yanomami são a maior população humana da Terra que vive em alto grau de isolamento na floresta tropical. São cerca de 40 mil pessoas, distribuídas em 550 comunidades, sendo 300 no extremo noroeste da Amazônia Brasileira e 250 no sul da Venezuela. O governo brasileiro demarcou a Terra Indígena Yanomami em 1992 com a área de 9.664.975 hectares de floresta tropical, reconhecida por sua alta relevância em termo de proteção da biodiversidade amazônica. Apresar da agricultura hoje ter um peso grande na composição das fontes de alimentação yanomami, a caça e coleta entre eles representam importantes atividades no cotidiano das comunidades, compatível com a alta mobilidade territorial, que acontece na maior parte do seu território. O conhecimento yanomami associado à caça e à coleta é um dos maiores patrimônios desse povo. Os Yanomami são formados pelo menos por cinco grupos que falam línguas aparentadas: sanöma, ninam, yanomam, yanomamɨ e ỹaroamë.

Para os Yanomami, o termo para definir o seu território é urihi, a terra-floresta, não é um mero espaço inerte de exploração econômica (o que chamamos de natureza). Trata-se de uma entidade viva, inserida numa complexa dinâmica cosmológica de intercâmbios entre humanos e não-humanos. A proteção desse
território é considerada pelos Yanomami como fundamental não apenas para a garantia dos recursos necessários para sua sobrevivência, mas também para o equilíbrio do mundo.

Origem: Povo Yanomami (grupo Sanöma)
Região: Floresta Amazônica, Terra Indígena Yanomami, Estado de Roraima
Nome da peça na língua Sanöma: Sote a
Material: Trançado de fibras de arumã com tingimento natural
Tamanho (Diâmetro x Profundidade): 58 x 3 cm