Balaio | Baniwa

Os waláya aparecem na mitologia e nos rituais de iniciação das meninas e meninos Baniwa. Tradicionalmente, os meninos aprendem a fazer cestas deste tipo e ofertá-las às suas amigas rituais, ao término do período de reclusão. Os Baniwa usam os waláya makapóko (balaios grandes) para recolher a massa de mandioca (antes e depois de espremer no tipiti) e para servir beiju e farinha nas refeições. Também serve de suporte para presentear com frutas e outros alimentos. Esta cesta é considerada pelos artesãos baniwa a mais trabalhosa, especialmente pelo acabamento que requer o beiral.

medidas aproximadas: diâmetro 40 cm.

R$ 188,00

em até 5x de R$ 37,60

Ou R$ 178,60 à vista no boleto ou pix.

Enviado com sucesso!

Houve um problema ao enviar.

calcule o frete

Não sabe o seu CEP?
PRECIFICAÇÃO TRANSPARENTE
Balaio | Baniwa
Balaio | Baniwa
Balaio | Baniwa
Balaio | Baniwa
Balaio | Baniwa
Balaio | Baniwa
CONHEÇA A ETNIA QUE PRODUZIU ESTE PRODUTO
baniwa
CONHEÇA A ETNIA QUE PRODUZIU ESTE PRODUTO
baniwa

BANIWA

Desde os tempos coloniais, o nome Baniwa é usado para todos os povos que falam línguas da família Aruak ao longo do Rio Içana e seus afluentes.

Atualmente as 93 comunidades deste povo estão localizadas na fronteira do Brasil com a Colômbia e Venezuela ao longo das margens do Rio Içana e seus afluentes Cuiari, Aiairi e Cubate, Alto Rio Negro/Guainía e nos centros urbanos de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel e Barcelos (AM). Participantes ativos no movimento indígena da região, suas cestarias de arumã os tornaram famosos para além das fronteiras de seu território. Esta arte milenar lhes foi ensinada pelos heróis criadores, e atualmente fazem parte do movimento de resgate

SUCESSO
FALHA
AUTONOMIA

AUTONOMIA

Promovemos a autonomia das organizações nas tomadas de decisão.

EQUILIBRÍO FINANCEIRO

EQUILIBRÍO FINANCEIRO

Relações equilibradas e simétricas que valorizam os modos de vida das populações tradicionais e indígenas.

ATIVISMO

ATIVISMO

Usamos nossos canais de comunicação para promover e engajar a sociedade à pauta do movimento indígena do Brasil.

MONITORAMENTO DE IMPACTO

MONITORAMENTO IMPACTO

Acompanhamos os impactos gerados com a venda dos artesanatos nas comunidades e em seus territórios.

TRANSPARÊNCIA

TRANSPARÊNCIA

Existência de espaços democráticos de negociação e diálogos entre as partes e transparência no acesso à informação e nas negociações.

PARCERIA

PARCERIA

Construímos parcerias sólidas e duradouras com as Artesãs e suas comunidades.